Arquivo do autor:Assessoria Comunicação

Sem ressalvas, CODERN tem demonstrações contábeis de 2019 aprovadas em Assembleia Geral Ordinária

A Companhia Docas do Rio Grande do Norte (CODERN) informa que, nesta terça-feira, 15 de setembro de 2020, em Assembleia Geral Ordinária, teve as demonstrações contábeis de 2019 aprovadas sem ressalvas.

O fato implica que todas as discrepâncias anteriores, que impediram a aprovação das contas de 2017 e 2018, foram devidamente sanadas. O resultado assume especial importância, pois foi a primeira vez que tal aprovação ocorreu sem o registro de qualquer ressalva, contribuindo para o aumento da credibilidade da Companhia.

A diretoria da CODERN se congratula com todos os funcionários que contribuíram para conquistar essa aprovação.

Desembargadora decreta ilegal e determina suspensão imediata da greve dos portuários de Areia Branca

A greve dos portuários de Areia Branca foi considerada ilegal pela desembargadora do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), Maria Auxiliadora Barros de Medeiros Rodrigues, ao deferir mandado de segurança com pedido de liminar impetrado pela Companhia Docas do Rio Grande do Norte (CODERN).

“Defiro a liminar requerida, para determinar a suspensão da greve deflagrada em 10/9/2020 pelo Sindicato dos Trabalhadores nos Serviços Portuários do Estado do Rio Grande do Norte (SINPORN), determinando-se a imediata normalização das atividades portuárias no Terminal Salineiro de Areia Branca (TERSAB), sob pena de multa diária de R$ 10.000,00 (dez mil reais), em caso de descumprimento”, diz a decisão.

A magistrada considerou a atividade portuária “essencial” e disse caber à CODERN “estabelecer o horário de funcionamento do porto, observada as diretrizes do Ministério do Transporte, Portos e Aviação Civil, e as jornadas de trabalho no cais de uso público”.

A desembargadora ainda enfatizou a prova pré-constituída para o possível descumprimento de acordo firmado entre as partes perante o Ministério Público do Trabalho, onde o próprio presidente do Sindicato reconheceu que alguns pontos são impraticáveis ao direito de greve, dentre eles, no item “Com relação as seguintes atividades: carregador de navios e descarregador de barcaças, guarda, segurança do trabalho, sala de geradores, limpeza, cozinha/alimentação, gerente, assessores e quaisquer cargos em comissão, deve manter 100% do funcionamento”, mas diversas operações ficaram impossibilitadas diante da insuficiência de pessoal durante a greve.